o casaco naïf

A minha avó Laura é do tempo das mulheres de luto negro… mas nunca houve morte que a vestisse de preto…. nem no lenço. Foi uma mulher rebelde e sempre colorida. Preto… só mesmo os cacos de Bisalhães que comprava na feira de São Pedro (Vila Real) juntamente com imensas loiças esmaltadas e cestas merendeiras. Gostava do artesanato […]